Skip to Content

6 ago
Publicado em: Condução, Dicas

Uma das práticas mais prazerosas do fora de estrada é se embrenhar nas trilhas e levar a viatura ao limite, desafiando os obstáculos mais improváveis de se transpor. São as trilhas que chamamos de pesadas.

Erosões, dunas, rios, lamaçais e lagoas são alguns dos desafios encontrados e nesse tipo de prática onde a máxima é “quanto pior melhor”. Para os jipeiros que gostam, se a trilha não oferecer nenhum tipo de obstáculo então não tem graça nenhuma.

Mas sair para o off-road pesado não basta apenas ter um carro preparado, cheio de acessórios e modificações. Para encarar esses desafios é preciso mais que coragem, é preciso ter alguns cuidados e saber de algumas técnicas específicas.

Por isso, preparamos algumas dicas que consideramos fundamentais para esse tipo de prática off-road, que valem tanto para quem é novo no assunto e como para quem já é “macaco velho”.

. Parece óbvio mas antes de sair não esqueça de checar todos os itens de segurança do veículo, inspecionando fluido, pneus e luzes.

. O cinto de segurança não é obrigatório somente em vias oficiais, nas trilhas ele é igualmente necessário.

. Lembre-se de levar sempre água potável para todos os ocupantes do veículo e para o próprio. O uso do carro em situações extremas pode gerar algum tipo de vazamento, o que ocasiona um superaquecimento.

. Regule os espelhos retrovisores externos de modo que o motorista possa visualizar as rodas de trás pois assim ele pode ver o caminho das rodas traseiras.

. Em declives lisos, escolha uma marcha e siga com ela até o final do obstáculo. Não troque de marchas no meio e não utilize o freio pois você pode perder o controle do carro. Esse controle é feito com o freio motor e a aceleração.

. Lembre-se que o bloqueio de diferencial não pode ser utilizado em curvas.

. Calibre os pneus de acordo com o terreno que irá enfrentar. Para solos com pouca compactação use pressões menores pois ajudam a “flutuar” e terrenos com pedras soltas exigem uma pressão maior dos pneus.

. Se a trilha apresentar algum obstáculo em que ocorra algum tipo de inclinação lateral, é preciso calçar o veículo ou ancorá-lo para evitar o tombamento. O uso de pás e enxadas podem auxiliar traçando o caminho a se seguir.

. Ao segurar o volante mantenha o polegar fora do aro. É comum o volante girar involuntariamente devido a solavancos e isso pode fraturar os seus dedos.

. Se for atravessar rios, lagoas ou qualquer trecho alagado mais profundo certifique-se que o snorkel está funcionando corretamente. Antes de iniciar o deslocamento alagado, faça a travessia a pé para ver se o piso está firme e a profundidade do local. Lembre-se de seguir a correnteza.

. Se precisar ficar parado em descidas íngremes, calce o veículo para que ele não desça involuntariamente.

. Ao utilizar o guincho é recomendável o uso de luvas e de um peso no meio do cabo para que ele não “chicoteie” no caso de rompimento. Pode ser o tapete do carro.

. No caso de haver um reboque para desatolar algum carro através de cinta ou guincho, mantenha uma distância segura para que as pessoas não sejam atingidas no caso de algum deles se soltar ou se romper.

. Mantenha uma distância segura do veículo a sua frente para que você tenha uma boa visão da trilha e de tudo que está acontecendo.

. Lembre-se de fixar bem todas as ferramentas e utensílios que se encontram dentro do carro para que nenhum dos ocupantes do veículo sejam atingidos por eles.

É claro que essas dicas não valem para todas as situações pois muitos outros imprevistos podem acontecer durante a trilha, faz parte. Por isso, é muito importante que se escute os jipeiros mais experientes que já passaram por muitas situações de “perigo”.

No mais é pegar a sua viatura, juntar a turma e fazer rastro. Boa trilha.